Steve Stephens, em imagem de arquivo da polícia, sem uma data específica (Foto: Polícia de Cleveland / via AP Photo)
Cartão de Visita Rocca

O suspeito de assassinato que a polícia disse ter publicado no Facebook um vídeo da morte de um homem da cidade norte-americana de Cleveland se matou com um tiro depois de uma “perseguição breve” de agentes da Polícia Estadual da Pensilvânia nesta terça-feira (18), informou a corporação.

Steve Stephens é suspeito de balear Robert Godwin Sr., de 74 anos, em uma calçada no domingo e depois fugir em um carro e postar o vídeo do assassinato no Facebook. Em seguida, ele tornou-se alvo de uma caçada de âmbito nacional.

Os policiais estaduais encontraram Stephens no condado de Erie, na Pensilvânia, depois de receberem uma dica segundo a qual seu Ford Fusion branco estava estacionado diante de um restaurante McDonald´s, disse Calvin Williams, chefe de polícia de Cleveland, em uma entrevista coletiva.

Steve Stephens (Foto: Reprodução Facebook/Stevie Steve)

Perseguição

Após uma perseguição breve, Stephens parou o veículo, relatou Williams. “Enquanto os policiais se aproximavam do veículo, Steve Stephens tirou a própria vida”, disse. “Teríamos preferido que não tivesse terminado desta maneira”, acrescentou, dizendo que ele e a comunidade teriam tido “muitas perguntas” para Stephens.

Stephens, que não tinha ficha criminal, não era suspeito de nenhum outro assassinato, segundo a polícia, mas disse em outro vídeo publicado no Facebook no domingo que já havia matado uma dúzia de pessoas.

Até agora, sabe-se pouco sobre Stephens. Ele tem 37 anos, e trabalhava como assistente social em uma unidade de saúde mental para crianças. Para Calvin Williams, chefe de polícia de Cleveland, Stephens parecia ter “claramente um problema”.

Em um vídeo postado no Facebook após o assassinato, Stephens diz ter ficado “louco por um momento”.

Outras postagens indicam que ele tinha dívidas de jogos de azar. “Perdi tudo o que eu tinha por causa do jogo nos cassinos de Cleveland Jack (Ohio) e Erie (Pensilvânia)”, escreveu em sua página, já deletada, no Facebook.

‘Monstro’

No vídeo transmitido ao vivo de seu carro pelo Facebook, depois do assassinato, Stephens diz: “Está vendo, a coisa é, cara, que eu tenho 37 anos e toda a minha vida, cara, eu sempre fui um monstro”.

O vídeo é a filmagem mais recente de um crime violento a surgir no Facebook, provocando questionamentos sobre como a maior rede social do mundo modera seu conteúdo.

A empresa irá fazer tudo que puder para evitar conteúdos como a postagem de Stephen, disse o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, na conferência anual da companhia para desenvolvedores de software em San Jose, nesta terça-feira.

Oque você acha disso?